TINTURA DE CABELO: A BELEZA EM RISCO

TINTURA DE CABELO: A BELEZA EM RISCO

A estética e a beleza são elementos essenciais nos dias de hoje. Sempre estamos à procura de novos métodos para estendermos nossa juventude, nossa beleza. É assim que nos sentimos bem e isto faz parte de nosso dia a dia.

Muito utilizados, os cuidados com o cabelo incluem desde cortes, luzes, reflexos, mechas, mudanças de cor. O efeito desejado normalmente é atingido, embora, muitas vezes para manter a aparência, precise-se manter por muito tempo o uso de tinturas, que são, quase sempre, compostas de substâncias químicas que causam muitas reações nos usuários.

As tintas e corantes capilares são utilizados há muito tempo, encontrando-se evidências desde o início da história humana. O uso de hena, erva que aplicada ao cabelo (em forma de emplastro), através de procedimentos específicos, colore, reforça e destaca o cabelo. Mesmo ela, natural, pode acarretar em risco para pessoas alérgicas.

Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, podemos classificar as tinturas em permanentes, semipermanentes e temporárias.

As tinturas permanentes são soluções à base de amônia e água oxigenada que dependem de uma reação de oxidação para chegar ao resultado final desejado. Este tipo de produto penetra no fio de cabelo e acaba mudando a cor de maneira permanente. Por suas características, é a tintura mais utilizada (e indicada) para cabelos brancos e grisalhos, pois o pigmento é permanente e não sai com lavagens.

As tinturas semipermanentes também chamadas de tonalizantes, são compostas de pigmentos que tingem os fios por até doze lavagens. São mais usadas para escurecer os fios, nunca para clareá-los. Aplicadas aos fios úmidos, penetram apenas na camada externa dos fios. Não possuem amônia.

As tinturas temporárias não penetram em nenhuma camada do fio e geralmente duram apenas uma lavagem. Quem as utiliza, o faz buscando cores extravagantes, sem o intuito de modificar o tom natural. A tinta temporária mais conhecida é a hena, um corante alaranjado, aplicado sob a forma de emplastro de pó e água quente. As tinturas temporárias, em geral, causam menos reações alérgicas ou dermatites de contato.

Complementando os produtos utilizados, temos os descolorantes, que segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, tem como função retirar a melanina do fio, parcial ou integralmente. É o que ocorre em procedimentos como luzes, reflexos ou mechas. O produto dissolve a melanina do fio e clareia o pelo, de acordo com o tempo de aplicação.

Sintomas de alergia e irritação

A maioria dos produtos oferecidos pelo mercado alertam em suas embalagens e em folhetos próprios (que acompanham o produto), para que sejam testados antes de aplicados no couro cabeludo. O teste é simples, sendo importante que se faça de 48 a 72 horas antes de sua aplicação, tempo médio para que reações alérgicas ou irritações se manifestem.

Normalmente, basta passar um pouco do produto nos pulsos (alguns produtos sugerem o cotovelo), devendo-se observar nas próximas horas após a sua aplicação se houve reações na pele.

Podemos classificar estas reações em leves ou brandas; graves ou muito graves.

alergia leve ou branda tem como sintomas coceiras ou formigamento do couro cabeludo. Pode haver queda intensa de cabelos e dermatites. Em algumas pessoas, erupções purulentas podem aparecer na parte de trás do pescoço, pálpebras e na parte superior das orelhas. Em outras, nas mesmas regiões e no couro cabeludo, rosto e pescoço, apresentam uma aparência escamosa, seca e quebradiça.

Na alergia grave muitas pessoas que utilizaram tinturas para cabelo, apresentaram inflamações mais resistentes, que se espalharam para outras partes do corpo, podendo alterar significativamente a fisionomia do indivíduo (como causam inchaço no rosto, a alergia pode provocar ainda a perda definitiva ou temporária da visão, com danos na córnea).

São relatados com bastante frequência casos de inchaços e descamação que provocaram cicatrizes, depois de estarem curados.

Se você, ao aplicar a tintura tiver espirros, tosse e náuseas, talvez não seja alérgica (o), mas pode ter sensibilidade e apresentar irritações ao produto.

Nas alergias classificadas como muito graves, podem causar na pessoa, danos graves e muitas vezes fatais, desde dificuldade respiratória até anafilaxia e choque anafilático. Para estas pessoas, o simples contato da tintura no couro cabeludo causa coceiras incessantes. Se este for o seu caso, pare imediatamente a aplicação, procurando atendimento médico especializado.

Todas estas reações são causadas pelas substâncias que compõe as tinturas, sendo as mais tóxicas o PPD (Parafenilenodiamina ou P-fenilenodiamina – encontrado nas tintas permanentes ou em alguns produtos de hena preto), Lauril sulfato de sódio, amônia e o propilenoglicol.

O efeito das tinturas também pode acometer pessoas que os manipulam profissionalmente, podendo ter febre, sensação de náuseas além de dificuldade para engolir alimentos.

Utilizando os produtos faça sempre os testes recomendados ou procure orientação de um médico especialista (dermatologista ou alergologista).

Fonte: Sociedade Brasileira de Dermatologia