Doenças imunológicas do verão: saiba como se prevenir

Doenças imunológicas do verão: saiba como se prevenir

Alguns problemas de saúde são mais comuns no verão, especialmente as alergias ou doenças imunológicas, causadas pelo excesso de calor, umidade, temperaturas altíssimas e chuvas constantes. “Cerca de 35% da população mundial sofre com algum tipo de alergia, mas, durante o verão brasileiro, esse índice é ainda maior, por conta de diversos fatores. Os processos alérgicos chegam a aumentar até 40% durante a época, sendo os mosquitos, os causadores de boa parte delas”, afirma o médico Marcello Bossois, do projeto Brasil Sem Alergia, no Rio de Janeiro.

Ele explica que a alergia é uma resposta exagerada do sistema imunológico a uma substância estranha no organismo e diz que todos estão sujeitos a aparição desses problemas. No verão, geralmente, há uma exposição maior a fatores que podem provocar alergia, como uso exagerado de cosméticos, sol em excesso e aumento da transpiração.

Alergias a insetos

Um processo alérgico muito comum durante a estação mais quente do ano é o desencadeado pela picada de insetos, um dos principais vilões do calor. Suas mordidas são extremamente nocivas à saúde das pessoas, principalmente àqueles que já possuem alto grau de alergia. “As feridas provocadas pela picada dos mosquitos são portas de entrada para infecções por germes da pele, podendo levar a doenças como abcessos, celulites ou doenças renais. Esse é um dos fatores mais preocupantes no tratamento das alergias dermatológicas”, afirma o médico.

O problema pode acontecer com pessoas de todas as idades, mas as crianças são as mais afetadas. Segundo o médico, isso ocorre porque elas costumam usar menos roupas, expondo mais o corpo ao ambiente. Além disso, muitos insetos têm um vôo mais baixo, o que as torna mais vulneráveis.

Eczemas de contato

Caracterizam-se pela vermelhidão e inchaço da pele, e podem causar também uma descamação. O uso constante de cosméticos é um de seus grandes causadores. “Isso deve-se ao produto químico contido em maquiagens, desodorantes e protetores solares, que, ao entrarem em contato com a pele, liberam substâncias que iniciam o processo alérgico. Além disso, a própria transpiração do corpo facilita em muito a aparição deste problema”, diz.

Alergia a bijuterias

Esse tipo de alergia também alguma no verão, pois o suor estimula o sulfato de níquel, componente desses produtos, que provoca eczemas especialmente no pescoço. “Até os telefones celulares podem gerar reações, principalmente nas orelhas, devido ao lítio, componente da bateria que causa alergia nas pessoas que transpiram em excesso”, alerta o médico.

Causas da candidíase

Ao contrário do que muitos imaginam, essa doença não é contraída apenas por relação sexual. Ela pode ser causada por diversos fatores, como má alimentação, estresse ou até sedentarismo. No entanto, um dos fatores que mais propicia o seu surgimento, principalmente no verão, é o aumento da transpiração em algumas partes do corpo.

A candidíase pode se manifestar em diferentes regiões do corpo, como na boca ou no intestino. As mulheres são as mais afetadas, totalizando cerca de 70% dos casos. O médico explica que isso ocorre devido à alta exposição da região genital da mulher ao surgimento de fungos e bactérias, especialmente nesta época do ano.

Herpes durante o verão

Os dias quentes também pode ser desencadeadores do herpes, causada pela exposição em excesso ao sol e aos raios ultravioleta. “O calor demasiado provoca uma baixa no sistema imune das pessoas, podendo facilitar o aparecimento de doenças de causas imunológicas como o herpes”, explica.

Embora aproximadamente 90% das pessoas possua o vírus, seus sintomas e reações não são apresentados com facilidade, por conta da ação do organismo no combate da doença. O Herpes Simples pode se manifestar de duas maneiras, como labial, transmissível através do beijo ou no contato direto com a ferida, e genital, passado pela relação sexual. Outro fator que impulsiona o aparecimento dos machucados é o estresse.

O herpes causa ardência, com a formação de inchaço com bolhas muito dolorosas que se rompem, ocasionando delicadas feridas com secreção. Nessa fase o vírus pode ser facilmente transmitido a outras pessoas. “Todos os pais devem estar atentos, pois o vírus labial pode ser transmitido a recém nascidos com muita facilidade, através de um simples beijo de seus familiares ou amigos, principalmente se a pessoa apresentar as reações da doença. Essa transmissão pode ser muito perigosa”, alerta.

 

Fonte: https://www.vix.com/pt/bdm/verao-calor/doencas-imunologicas-verao-saiba-como-se-prevenir