Alergias: entenda os perigos da automedicação durante as crises

Alergias: entenda os perigos da automedicação durante as crises

Quando uma pessoa apresenta algum sintoma relacionado à alergia, sempre é indicado procurar um especialista, o alergologista. Uma vez identificado o diagnóstico e prescrita a medicação, é sempre bom questionar ao médico, se caso apresente uma situação semelhante no futuro, se seria indicado utilizar o mesmo medicamento.

A automedicação nunca é recomendada. O paciente pode escolher uma medicação e errar na dose, na frequência ou no número de dias utilizado. É muito comum no caso de alergia o paciente utilizar durante um dia a medicação, melhorar e parar, achando que resolveu o problema. Quando na realidade deveria seguir a orientação do especialista para um período mais estendido de tratamento.

Corticosteroides orais e anti-histamínicos orais são muito utilizados em crises de alergia. É verdade que estes medicamentos não necessitam de receitas para adquiri-los. O que muita gente não sabe é que a automedicação pode, por falta de orientação, causar efeitos indesejáveis.

É evidente que mesmo utilizando a medicação corretamente, pode acontecer a presença de efeitos colaterais, que dependem da sensibilidade individual.

Efeitos indesejáveis da automedicação para alergia

Em relação à escolha do anti-histamínico oral pode acontecer de utilizar um que cause sonolência. Se houver orientação do especialista, com certeza será indicado um antialérgico mais moderno e mais seguro que não provoque este efeito colateral.

Em relação aos corticosteroides orais, há sempre muitas dúvidas quanto a sua utilização. Dependendo da dose, frequência e número de dias administrados pode acontecer retenção de líquidos e sódio, levando a um inchaço, dores musculares, dor de estomago, alterações oculares, insônia, hiperirritabilidade, etc. Se houver orientação do especialista, é mais difícil de acontecerem esses imprevistos e poderá haver uma orientação prévia sobre possíveis efeitos colaterais.

É preciso muito cuidado em relação à escolha de pomada ou creme tópico utilizados em alergia de pele. Ás vezes são escolhidos por conta própria alguns que são fotossensibilizantes. Outras vezes são utilizados cremes ou pomadas à base de corticosteroides por tempo indeterminado, podendo causar atrofia cutânea ou despigmentação da pele.

Em caso de crises de asma, rinite alérgica, urticária, dermatite atópica, alergia a picada de inseto, se o paciente tiver uma receita do especialista atualizada pode utilizar a mesma e comunicar ao médico sobre a crise no momento ou na próxima consulta.

O paciente que segue a orientação do especialista tem um caminho de segurança para estabilização de sua doença.

Fonte: http://www.minhavida.com.br/saude/materias/20794-alergias-entenda-os-perigos-da-automedicacao-durante-as-crises