ALERGIA À OLEAGINOSAS

ALERGIA À OLEAGINOSAS

A alergia a oleaginosas ou ao amendoim é um tipo de alergia alimentar que pode apresentar desde reações na pele, sintomas gastrointestinais e em casos mais a graves até a anafilaxia. O diagnóstico pode ser feito por um especialista através de exames de sangue ou de pele ou por teste de provocação. E o tratamento assim como a maioria das alergias alimentares, consiste em remover as oleaginosas da dieta, o que pode ser uma tarefa bastante difícil principalmente pelos ingredientes mascarados nos produtos industrializados.

Os sintomas da alergia a oleaginosas ou ao amendoim podem surgir já no primeiro contato, e a reação acontece em alguns minutos ou até duas horas depois após a ingestão. Como o tratamento é retirar esses componentes da dieta, é importante ler muito bem os rótulos, pois são comuns os casos em que a presença está escondida em outros componentes. Deve se evitar além das oleaginosas em si, alimentos como bolachas, biscoitos recheados, chocolate, doces em geral, sorvetes, bolos e pães, óleos vegetais. Algumas bebidas alcoólicas e produtos de higiene pessoal também podem conter traços.

Esse tipo de alergia é mais comum nos Estados Unidos, pois são alimentos muito presentes no dia a dia dos americanos. Porém no Brasil também há incidência dessa alergia e pode ser apenas por um tipo de oleaginosa, ou por vários, tendo que evitar todas delas.

Um estudo publicado na revista científica New England Journal of Medicine argumenta que se houver consumo de amendoim durante os primeiros 11 meses de vida, o risco de desenvolver alergia é bem menor. A pesquisa foi realizada em 550 crianças que se alimentaram até os 11 meses com alimentos à base de amendoim, e depois de uma pausa de até um ano, voltaram a consumir o alimento sem qualquer reação. Segundo o estudo são cerca de 20 mil crianças por ano diagnosticadas com alergia a amendoim nos Estados Unidos e Reino Unido.

Mas afinal o que são oleaginosas?

São chamadas de oleaginosas as sementes e grãos com grande teor de gordura como castanhas, nozes, amêndoa, avelã, macadâmia, pistache, pecã e amendoim.

As oleaginosas são benéficas para o controle da tireóide, do colesterol, da pressão arterial pois são carregadas em nutrientes (principalmente em proteínas), mas por conter muitas calorias devem ser consumidas com moderação, apenas alguns grãos por dia.

 

Fonte: Mundo Alérgico