Asma

O QUE É

Trata-se de um importante problema de saúde pública, com prevalência mundial estimada em 300 milhões de indivíduos, com cerca de 180.000 óbitos anuais. Atinge cerca de 10% da população infantil nos países ocidentais, sendo a doença crônica mais comum da infância.
No Brasil, a prevalência entre escolares chega até 25%. Segundo o DATASUS (Ministério da Saúde do Brasil), ocorrem aproximadamente 350.000 internações por asma a cada ano, sendo esta a 3ª causa de hospitalizações pelo Sistema Único de Saúde (SUS). No Brasil, temos aproximadamente cerca de 2.000 óbitos/ano, por asma.
A asma é uma doença inflamatória crônica das vias aéreas inferiores, ou seja, pulmão. Trata-se de doença limitante da qualidade de vida, potencialmente grave, podendo levar a limitação da capacidade pulmonar do indivíduo.
Os sintomas da asma variam de leve a grave, variando de pessoa a pessoa. O paciente com um quadro leve pode as vezes não perceber que tem asma, e em muitos casos não há “chiado”, apenas a tosse. Procurar o especialista é a melhor forma de se fazer o diagnostico e iniciar o tratamento específico.

SINAIS E SINTOMAS

Podem variar de indivíduo para indivíduo, sendo os mais comuns:
 falta de ar, podendo evoluir com limitação respiratória grave
 tosse persistente
 aperto no peito ou dor
 chiado no peito ou sibilo
 tosse após exercício físico, risada, choro
tosses noturnas e/ou pela manhã

Alguns tipos especificos de asma:
 asma induzida pelo exercício (podendo ainda ser agravada se o ar é frio e seco no local)
 asma ocupacional, decorrente de irritantes no local de trabalho (vapores, gases)
 asma alérgica, decorrente da hiperssensibilidade a um alérgeno específico, tal como poeira, pólen ou pelo de animal

Fatores que contribuem para o agravamento da asma:
 Infecções respiratórias, até mesmo o resfriado comum
Alérgenos como pelo de animais, mofo e pólens
 Substâncias irritantes como fumaça de cigarro, produtos com cheiro forte, queimadas
 Atividade física
 Ar frio
 Doença do refluxo gastroesofágico
 Medicamentos como beta bloqueadores e aspirina
 Estresse

DIAGNÓSTICO

É baseado na história clínica do paciente e em exames específicos para se avaliar a função pulmonar (espirometria) e a presença ou não de alérgenos envolvidos na causa da asma (como os testes alérgicos), além de raio x de tórax.

TRATAMENTO

O tratamento da asma deve incluir:
 Medidas de controle ambiental de alérgenos
 Tratamento inalatório com medicações visando o controle dos sintomas
 Imunoterapia específica alérgeno-específica
 Orientação quanto ao tratamento de crise.