Alergia Alimentar

O QUE É

A alergia alimentar é uma reação do sistema imunológico que ocorre logo depois de comer um determinado alimento. Mesmo uma pequena quantidade o alimento que causa alergia pode provocar sinais e sintomas. Em algumas pessoas, a alergia alimentar pode causar sintomas graves ou até mesmo uma reação com risco de vida, conhecida como anafilaxia.

A alergia alimentar afeta cerca de 6 a 8% das crianças com menos de 3 anos de idade e até 3% dos adultos. Algumas crianças superam sua alergia alimentar à medida que envelhecem. Na população infantil os alimentos mais incriminados são leite de vaca, ovo, amendoim, dentre outros. Já na fase adulta, destaca-se a ocorrência de alergia a camarão e outros crustáceos.

É fácil confundir uma alergia alimentar com uma reação muito mais comum conhecida como intolerância alimentar. Apesar de incomoda, a intolerância alimentar é uma condição menos grave que não envolve o sistema imunológico; geralmente manifestada por sintomas digestivos, como diarreia e vômitos.

SINAIS E SINTOMAS

Sintomas de alergia alimentar geralmente se desenvolvem dentro de alguns minutos a duas horas após a ingestão do alimento agressor.

Os sinais e sintomasde alergia alimentar mais comuns incluem:

 formigamento ou coceira na boca

 urticária, coceira ou eczema

 inchaço dos lábios, face, língua e garganta ou outras partes do corpo

 respiração ofegante ou dificuldade para respirar

 dor abdominal, diarreia, náuseas ou vómitos

 tonturas, vertigens ou desmaios

 anafilaxia

Alergia alimentar induzida pelo exercício

Algumas pessoas têm uma reação alérgica a um alimento desencadeada pelo exercício, podendo inclusive levar à anafilaxia.

DIAGNÓSTICO

Não há nenhum teste padrão para confirmar ou descartar uma alergia alimentar. O especialista deve considerar cada detalhe da história clínica antes de fazer um diagnóstico.

Dentre os exames complementares disponíveis, pode-se lançar mão do teste cutâneo de leitura imediata (Pricktest) e a IgE sérica específica para o alimento suspeito. Também podem ser úteis a dieta de eliminação do alimento suspeito e a prova de provocação oral (na qual o alimento suspeito é oferecido ao paciente).

TRATAMENTO

1. Mediadas por IgE ou imediatas, que ocorrem dentro de minutos até 2 horas após a ingestão do alimento. Alguns exemplos são:
• urticária e angioedema,
• hipersensibilidade gastrointestinal imediata,
• síndrome da alergia oral - Início rápido, com prurido e desconforto nos lábios, língua e orofaringe, podendo haver sensação de aperto na garganta e angioedema.
• Anafilaxia
• Asma – É rara como manifestação isolada de alergia alimentar. Geralmente, acompanha sintomas cutâneos e gastrointestinais

2. Não-mediadas por IgE ou tardias, que surgem horas após ingerir o alimento. Alguns exemplos são:

• enteropatia induzida por proteína – FPIES. A criança com FPIES normalmente apresenta vômitos repetitivos, diarreia e resposta inflamatória sistêmica que pode evoluir com desidratação aguda, letargia e queda de pressão arterial seguida choque hipovolêmico (15–20% dos pacientes). É uma reação grave e precisa ser acompanhada de perto pelo especialista.
• dermatite herpetiforme - Pode ser considerada uma variante da Doença Celíaca, onde o paciente apresenta lesões de pele pruriginosas apresentando também intolerância permanente ao glúten.
A Dermatite Herpetiforme, é uma doença cutânea crônica e benigna que se caracteriza por uma sensação de queimadura intensa e coceira.
• Doença celiaca
• proctite alérgica - diarréia leve e sangramento retal, porém com preservação do estado geral. Afeta lactentes exclusivamente com leite materno ou em uso de fórmulas lácteas e pode surgir nos primeiros dias de vida.
• doença do refluxo gastro esofágico - vômitos, regurgitações, irritabilidade, dificuldade para alimentação e déficit de ganho de peso podem ser alguns sintomas de doença do refluxo causada ou não por alergia alimentar.
• cólica do lactente – pode-se pensar em alergia alimentar envolvida quando a cólica é de grande intensidade e muito frequente.
• constipação intestinal – pode ser considerada quando associada a fissuras anais que não cicatrizam com o tratamento habitual e na constipação difícil de ser controlada

3. Mistas, reação IgE mediada e reação tardia por células. Alguns exemplos:

• dermatite atópica,
• esofagite eosinofílica – uma patologia do esôfago em que o paciente pode apresentar dor retroesternal, dificuldade à deglutição e impactação de alimentos no esôfago
• gastroenteropatia eosinofílica - podem ocorrer vômitos, regurgitações, irritabilidade, distúrbios da alimentação e déficit de crescimento.
• enterocolite eosinofílicas
• asma